REUNIÃO DO COLEGIADO CURSO DE MEDICINA (29/05/2014)

Representantes Discentes presentes:

  1. Deborah Bergmann
  2. Giulia Masotti
  3. Jéssica Pereira
  4. Lucas Savaris
  5. Matheus Steglich

Pautas:

1. Informes:

1.1. Exposto sobre a carga horária de Saúde do Adulto 7ª e 8ª fases

  • 7ª fase – saúde do adulto com 466h, o ideal seria 360h
  • 8ª fase – saúde do adulto com 502h, o ideal seria 324h

1.2. A proposta do NDE é no dia 17/06/2014 no Seminário do Curso de Medicina apresentar formalmente o trabalho do NDE, dos professores Dr. Getúlio e Dra. Suely em parceria com a Comissão de Educação Médica do CALIMED sobre análise do currículo, para rearranjo do atual currículo.

1.3. Jéssica (aluna da 7ª fase, membro da CEM, RD no Colegiado) fala do trabalho com o NDE e solicita o comprometimento dos professores e a reflexão sobre a importância de seus conteúdos.

1.4. Dr. Charles, que organiza o estágio nos postos de saúde, dos alunos do Internato, relata que gostaria que os alunos pudessem ficar nos mesmos postos de saúde do início do curso até a 10ª fase, para isso, ele teria que estruturar os grupos do internato. Atualmente são os próprios alunos que organizam seus grupos de internato e suas duplas de acordo com afinidades/amizades, ele se propõem a montar os grupos de maneira que os alunos fiquem nas mesmas unidades de saúde. Pretende levar isso a comissão do internato para ser analisado.

2. Entrada de alunos de outras instituições no internato UFSC (9ª fase – 2014.2)

2.1.  A atual 8ª fase conta com 41 alunos, destes, 3 participarão no próximo semestre do programa Ciências sem Fronteiras, de forma que a turma entrará no Internato com apenas 38 alunos. Foi aberto editar para receber alunos de outras universidade (12 vagas, para a turma fechar em 50 alunos) dando-se preferência a alunos de outras instituições públicas do Brasil, independente da origem do aluno, o aluno receberá o diploma com o nome da sua instituição de origem. Até o momento há 2 alunos da UFPEL já estão com vagas confirmadas. Votamos a favor permitindo a entrada de 2 alunos da UFV, 1 aluno da UFPEL e 2 alunos da Unochapecó.

2.2. Até o momento 7 alunos já tem vaga garantida nos 2 anos de internato médico na Ufsc.

2.3. Abrimos agora, novo edital com 5 vagas, dando preferência a alunos de universidades públicas.

3. Ciências sem Fronteiras:

3.1. Os alunos que forem viajar para o programa em setembro deverão freqüentar as aulas até o final de agosto, ao retornarem, seguem de onde pararam e não perderão o semestre.

4. Pauta do CALIMED:

4.1. Giulia (aluna da 7ª fase, membro da CEM, RD no Colegiado) relata que historicamente a Interação Comunitária de 1ª – 8ª fase apresenta problemas de funcionamento. O CALIMED pedoi que cada fase escrevesse um breve relatório com os problemas enfrentados nos 2 últimos semestres, compilou os problemas que eram unânimes, foi escrita uma carta com ajuda de alunos da atual 7ª fase, essa carta foi amplamente divulgada de 1ª a 8ª fase, sendo que 92% dos alunos assinaram. Tal carta foi enviada à coordenação do curso de medicina, ao Departamento de Saúde Pública, a chefia do CCS e ao pró-reitor de graduação (PROGRAD). Agora aguardamos um posicionamento do Departamento de Saúde Pública perante o CCS e à coordenação do curso de medicina.

4.2. Dr. Carlos Pinheiro relata que já aprovado pelo curso a criação de um Departamento de Saúde da Família e Comunidade que seria o responsável por gerenciar a IC e a Saúde e Sociedade de todo o curso de medicina. Porém inicialmente seria criada uma Coordenadoria Especial de Saúde de Família e Comunidade, que com o tempo cresceria para tornar-se um departamento independente.

4.3. Dr. José Mauro, do Departamento de Cirurgia, solicita que disponibilizemos uma cópia dessa carta a todos os professores do colegiado. Relata que a carga horária dedicada a IC e SS no curso de medicina é muito grande e muito mal usada.

4.4. Dr. João, médico da Prefeitura de Florianópolis na ULS Saco Grande e que representa os Médicos de Família que atuam como preceptores dos alunos da Ufsc, parabeniza a iniciativa dos alunos, considera o documento representativo, relata que os preceptores estão muito interessados a mudarem esse contexto da IC. Relata que a organização da IC está no lugar errado, os alunos de medicina precisam estar em contato com médicos de família atuantes e que relacionem a prática médica à teoria. Relata que temos total apoio dos preceptores para melhorar a IC, quer uma cópia da carta para levar ao Dep. De Ensino e Serviço da Sec. Saúde.

4.5. Dr. Charles relata que no dia 28/05/2014 (ontem) houve reunião do Dep. Saúde Pública, a carta foi exposta aos membros do departamento, os professores responsáveis pela IC 1ª a 8ª fase irão responder a carta.

4.6. Dr. Fabrício, atual chefe do Departamento de Clínica Médica,  relata que a CLM poderia se propor a receber médicos de família e comunidade no Dep. CLM para propiciar o desenvolvimento de um futuro DepMFC.

 5. Resolução do Colegiado:

“Tendo em vista a demanda dos alunos, propõem-se abrir concurso para pelo menos 8 professores com formação em Medicina de Família e Comunidade, que seriam responsáveis inicialmente pela organização da IC e SS de 5ª a 10ª fase. O Departamento de CLM avaliará a possibilidade de receber esses professores no DepCLM para que constituam a Comissão Especial de Saúde de Família e Comunidade”.

Fim da reunião.