CLEV

A CLEV (Coordenação Local de Estágios e Vivências) é um dos contatos direto da DENEM (Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina), através da CEV (Coordenação Nacional de Estágios e Vivências) e do centro/diretório acadêmico, com os estudantes de cada local, isto é, cada faculdade/universidade que participa dos estágios da DENEM.

Todo centro / diretório acadêmico de medicina faz parte da DENEM .  Todos eles, dentre outras coisas, são convidados a participar dos estágios oferecidos pela DENEM; eles são:

  • Estágio nacional, que atualmente não está ocorrendo devido à lei dos estágios – onde o estudante tem a possibilidade de conhecer a realidade de outra local (faculdade de medicina) e, nessa local, cursa um estágio de 15 dias a 1 mês, que pode ser em prática médica (como pediatria, acupuntura, cirurgia, etc.), em pesquisa, dentro de algum centro de pesquisa ou se inserindo em alguma pesquisa hora disposta por algum centro acadêmico, ou estágios de vivência, conhecendo uma realidade característica da região do estágio tendo seu estágio voltado especificamente para a organização de saúde de uma comunidade ou região e suas atenções direcionadas as peculiaridades daquela população (como no estágio de Saúde Indígena – que ocorre em Dourados – MS).
  • Núcleo Brasil-Cuba – intercâmbio resultado de uma parceria entre a DENEM e a FEU (federação Estudantes Universitária de Cuba) onde o estudante tem a possibilidade de conhecer como se estrutura o sistema de saúde do outro país; tem duração e 15 dias, onde são apresentadas as realidades social, de saúde, política e cultural, e ao longo do processo é discutido o que foi visto, suas similaridade e diferenças com a realidade do país do intercambista.
  • Estágio Internacional vinculado a IFMSA (do inglês: Federação Internacional de Associação de Estudantes de Medicina – [a IFMSA é uma organização que internacional que congrega 88 países]).   Esses países são representados pelas suas executivas nacionais de medicina ou por outra forma de representatividade estudantil médica e estão unidos no intuito de discutir temas relativos a saúde, formação médica, pesquisa científica, intercâmbios, trocas de experiência, entre outros.] os campos de estágio internacional oferecidos pela DENEM – IFMSA são estágio em prática médica, onde o estudante escolhe uma opção de prática médica para vivenciar em uma outra local e lá acompanha os serviços relacionados a essa escolha (ginecologia, clínica médica, oncologia, etc), estágio em pesquisa científica, onde o estudante se insere em uma pesquisa científica em uma escola ou centro de pesquisa, e estágio em saúde reprodutiva e AIDS, onde o estudante vai para uma local que tem um estudo voltado para esse tema e lá discute as peculiaridades da local e as formas de prevenção e tratamento adotadas para aquela realidade.
  • GAP, Projeto de ação global, formado pela DENEM, a IFMSA-PERU e a ANEMF (Federação dos Estudantes da França), que visa estudar as doenças negligenciadas pelo capitalismo, como por exemplo, Leishmaniose e Doença de Chagas.

A CLEV, é o responsável por fazer a triagem, dentro da sua faculdade, dos estudantes interessados em fazer um desses estágios. Cada seleção de estágio hoje é feita em uma data diferente, então, 2 vezes no ano, aproximadamente em junho e dezembro, são lançados editais de seleção para as vagas referentes ao estágio nacional; 1 vez ao ano, aproximadamente em julho, é lançado o edital paras vagas referentes ao estágio internacional vinculado a IFMSA e 1 ou 2 vezes ao ano é lançado o edital do núcleo Brasil-Cuba.   Nesses editais são apresentados às locais, através dos CLEV´s, os critérios de seleção (e pontuação) relativos a cada processo.  A partir daí cabe a ele liberar as informações para os alunos da faculdade, deixando claro e conferindo os documentos necessários aos alunos para confirmação da pontuação conseguida e quais os prazos referentes aquele processo.   O papel da CLEV é importantíssimo no processo de oferta, elaboração e execução dos estágios, uma vez que ele é o contato direto da DENEM (através da CEV) com o estudante, mas, é igualmente importante lembrarmos que a CLEV é só o locutor do Centro ou Diretório Acadêmico, para os assuntos de intercâmbio, e que por isso é muito importante que a coordenação local, como um todo esteja à par dos assuntos relativos aos estágios e vivências.   A partir daí a CLEV envia uma tabela de pontuação de seus estudantes, bem como os documentos que as comprovam, para a coordenação nacional e esta faz a tabela final, com todos os estudantes envolvidos no processo, onde consta a pontuação, se o estudante foi ou não classificado para o estágio e para qual das suas opções ele foi classificado (o estudante pode optar por mais de um estágio).   O processo de seleção para o núcleo Brasil-Cuba é diferenciado dos outros; para esse intercâmbio cada coordenação local deverá fazer uma pré-seleção, da qual são selecionados até 2 estudantes, para uma seleção nacional onde cada candidato terá que apresentar a resenha de um livro pré-determinado sobre a realidade cubana.   No final do processo são selecionados 10 estudantes que viajarão juntos para conhecer a realidade cubana.

Para arcar com as despesas referentes ao envio de documentos, encontros da coordenação, ida a GA (assembléia geral da IFMSA que ocorre 2 vezes no ano), vinda de 2 estudantes cubanos por ciclo, elaboração do ECEV (encontro de capacitação de estágios e vivências), FEV (fórum de estágios e vivências) e outros gastos relativos aos estágios, é cobrada uma taxa de intercâmbio que varia de programa para programa.   Hoje a taxa referente aos estágios nacionais é de R$30,00 a de estágios internacionais vinculados a IFMSA é de $120,00 euros.  O valor da taxa do núcleo Brasil-Cuba não é fixo, ele é calculado pela divisão do valor da passagem dos dois estudantes cubanos que vem a cada grupo de brasileiros que vai para Cuba. Todos os demais gastos com o NBC (telefonemas, ida do monitor, etc) é um investimento que a DENEM faz no NBC e que pode ser financiado pela venda de produtos e patrocínios externos.  Além disso, o estudante também é responsável por custear a sua passagem.  A IFMSA , FEU ou a local (dependendo do estágio) garante ao estudante hospedagem (ou na casa de um estudante ou em alojamento estudantil) e 1 ou 2 refeições por dia, durante o período de estágio e o certificado de conclusão deste.

Além de enviar estudantes os centros e diretórios acadêmicos são responsáveis por receber os intercambistas das outras locais.   Então, cada centro / diretório acadêmico que tem um serviço com algum diferencial que gostaria de apresentar, pode disponibilizar este serviço para que estudantes de outras locais possam conhecê-lo.   Este processo se dá através de conversa com a coordenação nacional de EV, com o chefe do serviço, com o colegiado de curso e c a direção do hospital ou posto onde o serviço é oferecido.  Parece complicado no início, mas, nós, da coordenação de estágios e vivências estamos a disposição para tirar dúvidas e ajudar no que for necessário.

Quando um intercambista é recebido, a local se torna responsável por providenciar um anfitrião, isto é, um estudante de medicina (que estude na faculdade correspondente), que ofereça ao estagiário hospedagem e 2 refeições por dia; e um padrinho, isto é, um estudante de medicina (que estude na faculdade relativa), que seja o “guia” do estagiário, apresentando a ele o hospital ou posto, ou o local onde ele fará o estágio, o sistema de saúde no qual o estágio está inserido, a realidade sócio-cultural da local e os trajetos mais importantes para que o intercambista consiga se virar sozinho durante o estágio. Essas duas funções, além de possibilitarem uma troca cultural muito grande entre os estudantes envolvidos, também se reverte em pontos para o estudante que quer se candidatar a uma vaga de estágio.

O fato de oferecer estágios é um mecanismo muito eficaz do centro / diretório acadêmico interagir com os estudantes da sua local, possibilita a troca de experiência tanto dos estudantes que vão participar dos estágios, como dos que recebem os intercambistas de outras locais. Outro questão muito interessante que podemos pautar em relação aos intercâmbios é o motivo pelo qual os estudantes buscam essa forma de obtenção de conhecimento. É porque a sua local de origem não tem o serviço? Porque querem conhecer outras realidades? Porque gostariam de participar de uma pesquisa científica? Enfim, cada estudante tem uma motivação e a partir delas podemos discutir vários assuntos, como a qualidade do ensino médico; o papel da indústria farmacêutica dentro dos hospitais-escola; verba privada dentro da universidade particular; abertura de novas escolas médicas; relação hospital-escola-comunidade e serviços prestados a população referencia; entre outros.